No começo do século XIX, famílias vindas de diversas localidades vizinhas, principalmente Sorocaba, estabeleceram-se á margem esquerda do Rio Pirapora, formando um povoado que tinha em Vicente Garcia, homem empreendedor e um autêntico chefe.Em 1840, tendo ganho uma imagem da Nossa Senhora da Piedade de um mascate, construiu uma capela em louvor a Santa. O dia da inauguração da igreja passou a ser considerada a data de fundação da cidade, 20 de maio de 1840.
O povoamento veio lentamente acompanhando o caminho da cidade de Sorocaba.A primeira paragem logo depois da serra do São Francisco, foi o Jurupará, povoado por José Vieira Nunes, que também foi povoador do Alto do Pirapora e da paragem Apeatuba, que recebeu como sesmaria. Mas é somente em 1779 que aparece a primeira paragem do Pirapora citada em documento. É a semente que vai gerar Piedade.
Antonio de Souza Pereira, morador em Sorocaba, recebe uma sesmaria de uma légua de terras em quadra na paragem chamada Pirapora. Na mesma época foram distribuídas outras sesmarias às margens do Pirapora.
A partir de 1780 são distribuídas varias sesmarias e com isso a paragem do Pirapora assumiu uma maior importância. Era o cruzamento entre o caminho que vinha de Sorocaba, passando pela barragem do Jurupará.
A paragem do Pirapora era ideal para os tropeiros que procuravam para seus pousos, lugares que oferecessem água e pastagem para seus animais. Um lugar como a confluência do rio Pirapora e o Ribeirão dos Cotianos. Um lugar seguro no qual os rios serviam como cercas para impedir a fuga de animais.

A FREGUESIA DA NOSSA SENHORA DA PIEDADE
Em 1824, já um povoado em crescimento, conhecido como bairro do Pirapora Acima, a população realizava seus batizados, casamentos e registrava seus óbitos na matriz de Nossa Senhora das Dores, na freguesia da Una.Próximo de 1840, os capitães Francisco José Moreira e Francisco Antonio de Moraes construíram o primeiro povoado do Pirapora Acima, em terras doadas por Vicente Garcia e a capela em invocação a Nossa Senhora da Piedade, que recebe a provisão episcopal em 29 de maio de 1840. A capela atraiu novos moradores e em 1846 o bairro do Pirapora já era conhecido como o bairro da Piedade. Pela lei n° 16, de 3 de março de 1847,o bairro da Piedade, é elevado à freguesia e fica pertencendo a Câmara de Itu.
Como a elevação de capela à categoria de paróquia, o povo ficou obrigado a construir sua igreja matriz. Demétrio Machado, capitão José Francisco da Rosa, Manuel Mendes Ribeiro e Francisco José Moreira, lideres da freguesia, optaram por reformar aa antiga capela. Em maio de 1851 foi inaugurada a matriz com o Padre Gerônimo da Silva Belas realizando os primeiros batizados e casamentos.

A VILA DE PIEDADE
A freguesia, elevada a vila no dia 24 de março de 1857, elege seus primeiros vereadores no dia 7 de setembro aguardando assim a instalação da Câmara overnight cialis.
O tenente coronel Francisco Gonçalves de Oliveira Machado, presidente da Câmara Municipal de Sorocaba, acompanhado do Secretário João da Silva Cardoso de Carvalho, partiu de Sorocaba em direção a nossa região, escolhendo os melhores atalhos, pois não havia estrada direta. A vila era o povoado formado pela Rua da Matriz, Rua do Teatro, Rua da Ponte e Pátio da Matriz.A Rua Nova que começava ao lado da Matriz e terminava pelos lados dos Cotianos ainda não passava de picadão. Cerca de quinhentas pessoas das 3.445 da freguesia residiam na sede.

A IMAGEM DE NOSSA SENHORA DA PIEDADE
Como todas as imagens de padroeiras no Brasil, a de Piedade é também cercada de lendas. Segundo o professor Pietro Maria Bardi, a imagem, uma reprodução da Pietá de Michelangelo, é uma obra de grande valor artístico feita por um santeiro da região de Sorocaba ou Itu, no principio do século XIX, ou melhor, entre 1800 e 1820, que soube muito bem modelar no barro a feição trágica do Cristo e a angústia de Maria.
Assim Começou Piedade
Revista: “Isto é Piedade”
O Regional – edição especial de janeiro de 1986.